Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

riscos_e_rabiscos

.

.

No dia em que fui atropelada MESMO.

Ao ler este post da Tsuri, veio-me à memória o dia em que fui atropelada MESMO. Se por um lado foi rídiculo, por outro foi hilariante.

 

era eu uma jovem moçoila e andava na universidade .Já não me lembro porque motivo (sim, porque isto passou-se no século passado, lol!), se havia greve de transportes, se não havia Metro ou se foi por simples boleia, mas o meu pai foi levar-me de carro à universidade.

 

Como à porta não se podia estacionar e porque escusava de ir dar a volta a Lisboa inteira por causa dos sentidos proibidos e obrigatórios, acabei por descer numa rua perto da universidade.

 

Abro a porta, pego nas coisas e mal ponho o pé na estrada e começo a fechar a porta, o meu pai arranca com o carro. Eu grito, dou mesmo um berro. O meu pai pára e pergunta-me "o que é que queres?", eu só lhe respondi "não quero nada... tu é que passaste por cima e nem deste por nada! Atropelaste-me um pé..."

 

E pronto. Foi assim o meu atropelamento e até hoje estou traumatizada. Atropelada pelo próprio pai...! Acho que preciso de anos de terapia...

{#emotions_dlg.tongue}

 

A Ti, Pai

 

Foste criado sem o amor dos pais

No meio dos teus irmãos te fizeste homem.

Lisboa acolheu-te como mais um dos seus filhos

E rapidamente Macau te deslumbrou

Quando a tropa para o oriente te destacou.

O teu sonho era ser futebolista

E correr pelos relvados ouvindo o vibrar dos golos.

Mas a vida não é o que sonhamos,

O sustento obriga-nos a aprender uma profissão.

Os carros foram a tua fonte de vida e de quase morte

Quando, naquele dia fatídico, tiveste o acidente.

Eu era tão pequenina, lembraste?

Tu eras o motorista que me levavas para a escola

E eu era a menina dos teu olhos.

Ainda te lembras disto, pai?

Sei que a tua falta de mimo acabou por te fazer assim, seco

Mas de coração mole ao mesmo tempo.

Choraste no dia em que me viste cantar e representar tão bem.

Choraste no dia em que me viste terminar o curso.

Sei que tens muito orgulho em mim apesar de não mo dizeres.

Espero que um dia te possa dar mais motivos de orgulho.

Há quase dois anos que te ia perdendo.

Mas era muito cedo para fazeres a travessia e conseguiste voltar.

Não partas tão cedo. Cuida de ti.

Fazes-nos muita falta apesar dos pesares.

Precisamos de ti e amamos-te!